domingo, 31 de outubro de 2010

Sagas, Volume 1 - Espada e Magia

Réss Fëanáry *

Bem-vindo novamente a Thargor!

Depois de muito mistério e algumas pistas espalhadas aqui e ali, finalmente foi revelado o projeto de espada & magia do qual participo com uma história passada no universo de Thargor, mais precisamente nas inóspitas Terras Ermas.

Sagas, Volume 1 – Espada e Magia” é o primeiro livro de uma série de fantasia épico-medieval que a novíssima Editora Argonautas pretende lançar no mercado. A ideia do projeto é resgatar a aura dos contos e histórias fantásticas das velhas séries pulp, os famosos livros de bolso que fizeram sucesso nas décadas de 1960 e 1970. Tais histórias se tornaram conhecidas através dos trabalhos de autores como Robert E. Howard, pai das personagens Conan, Kull e Red Sonja, Michael Moorcock e o seu Elric de Melniboné e o ciclo de Lankhmar, de Fritz Leiber, só pra citar os exemplos mais recorrentes.

E para abrir esse primeiro número em grande estilo, eu e mais três autores — Georgette Silen, Duda Falcão e César Alcázar — assumimos a missão de criar histórias que evocassem esse universo de guerreiros audazes, lutas e feitiçarias. E, mesmo sendo suspeito pra falar, acho que o resultado ficou mais do que satisfatório!

A dama da Casa de Wassir” traz pela primeira vez uma história totalmente focada nos Midh’raÿ, os povos que habitam as vastidões das Terras Ermas, a oeste de Thargor. A noveleta conta as aventuras de Atha’ny, príncipe guerreiro dos shoar’ym que se vê obrigado a embarcar numa jornada que mudará o destino de sua tribo e o seu próprio. Na trama, duas sociedades guerreiras se encontram para uma aliança militar selada por um casamento, mas o fato de ter que se casar com alguém que ele nunca viu é a menor das preocupações de Atha’ny, que terá de enfrentar seguidos testes de honra e coragem contra homens e mulheres armados de lâminas afiadas, entre eles a sua própria noiva. Vencidos os primeiros embates, ele terá de se confrontar com o maior desafio de sua vida, o temível feiticeiro Saavish.

Segundo Roberto de Souza Causo, prefaciador do Sagas, o conto “investe substancialmente na caracterização cultural do universo de Thargor. Com períodos longos e elegantes, são pintadas paisagens e relações culturais, [...] onde as traições e surpresas são muitas, conforme a leitura se acelera rumo ao desenlace. O leitor que busca emoções fortes não ficará decepcionado com essa noveleta”.

A Cidadela de Elan”, de Georgette Silen, “As Lágrimas do Anjo da Morte”, de César Alcázar e “Sem Lembranças daquele Inverno”, de Duda Falcão são os outros contos que integram esse primeiro volume da Coleção Sagas. A bela arte da capa ficou a cargo do desenhista norte-americano Nathan Milliner, que criou a ilustração especialmente para o projeto.

O livro será lançado dia 20 de novembro, durante o Jedicon, aqui em São Paulo.

Abaixo, a capa completa e mais um trecho do meu conto, pra dar um gostinho do que vem por aí:

Excerto: “A dama da Casa de Wassir”. 

A noite chegou sem aviso, semioculta pelo tecido fino da Tenda Cerimonial, e Atha’ny a recebeu com a mesma indiferença das noites anteriores. Estava no sexto dia de jornada, sexto dia das festas ritualísticas que o apresentariam a seu futuro. O penúltimo de uma vida que já lhe afigurava perdida.


Estirou-se sobre as almofadas, sem dar importância às queixas da escrava que tentava a todo custo terminar os desenhos semicirculares que deveriam enfeitar seu corpo para a cerimônia de logo mais. Já se cansara de toda aquela reclusão, das festas diárias e dos rituais, da longa jornada, dos conselhos monótonos dos homens mais velhos... estava cansado de uma vida que nem sequer tinha se iniciado. Retornou o corpo à posição inicial ante as súplicas da escrava, e, carente de opções, se deixou ficar, inerte, os olhos fechados, ouvindo ao longe os ecos das lembranças.


As areias brancas e revoltosas de sua vila lhe vieram à mente e, entre os pequenos redemoinhos que corajosamente desafiavam as ondas, a imagem das guerras territoriais que travava com seus amigos lhe surgiu vigorosa. Fazia tão pouco tempo, e agora tudo isso parecia pertencer a um passado distante.


A escrava picou-lhe a perna com o lápis de tinta, trazendo-o de volta à realidade da tenda. Atha’ny pensou em pelo menos três modos diferentes de castigá-la, mas em que pese a fecundidade da mente, faltou-lhe o ânimo do corpo para tanto e, mal terminada a pintura, ele a enxotou com um gesto brusco. Estava irritado. Não, irritado não. Desassossegado. A menos de um dia da encruzilhada que dividiria seu destino, ele ainda não sabia como se comportar. Em seu Clã, sempre fora o guerreiro mais destacado, o primeiro a brandir a espada contra os inimigos e o último a colocá-la em repouso na bainha, o filho primeiro e dileto de seu povo, orgulho dos shoar’ym da Costa do Mar Oriental. E, no entanto, pela primeira vez, Atha’ny não sabia como se portar, como agir e o que fazer quando chegasse o momento de enfrentar sua dash’ya, sua noiva”.

* Réss fëanáry significa, em Anthár, “Saudações (seja bem-vindo), Visitante!”.

9 comentários:

  1. Parabéns, tio rober. Ansioso para ler o seu conto thargoriano. Que venham muitos projetos como esse... e tb os romances né? =*

    ResponderExcluir
  2. Valeu, tio Eric.

    Os livros se tornaram pauta obrigatória [tenho um inquisidor pessoal com a arma apontada pra mim... rs].

    Espero que curta minha historinha de casamento.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo projeto, Rober. Fiz uma chamada a respeito em meu blog

    http://cidadephantastica.blogspot.com/2010/11/espada-magia.html

    ResponderExcluir
  4. Valeu mesmo, Robeu.

    Brigado pelo espaço e pela divulgação.

    Abração

    ResponderExcluir
  5. A capa tem um jeitão de Espada Selvagem de Conan com Heavy Metal. Parabéns, Rober.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Rober! Obrigado por divulgar o livro e participar dele. Um grande abraço!
    Duda

    ResponderExcluir
  7. Cirilo,

    Essa era realmente a ideia: entrar de cabeça no universo do Howard sem perder de vista a inovação.

    Fico feliz que tenha gostado. Alguma chance de te ver no lançamento, dia 20?!?!

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Sempre às ordens, meu caro Duda.

    Aliás, eu é que agradeço a oportunidade de participar de um projeto tão bacana.

    E que venham mais e novos!

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Encontrei seu site num blog, na página de autores parceiros.
    Eu estava interessada em saber se você aceita enviar-me alguma(s) de suas obras literárias (autografadas, caso seja possível) para que eu possa ler e resenhar ela em meu blog (primeiro-livro.com) e sorteá-la depois, caso você deixe.
    Peço-lhe, por favor, que caso aceite, responda-me mais breve possível por este mesmo e-mail.
    Se for de seu interesse talvez depois, também possamos disponibilizar em meu blog, uma entrevista que farei com você.
    Aguardo ansiosamente pelo se retorno.
    Abraços,

    ResponderExcluir